Há um dia do lançamento oficial da Festa do Momo, a Ong Hella lança dez peças de marketing para incentivar um Carnaval sem assédio.  Durante os dias de folia, o material publicitário trabalhará o combate à violência contra a mulher.

Todos os digital cards, produzidos pela Spiraal Comunicação Inteligente, apresentam as frases “Não é Não” e “Está em apuros? Ligue 180”. Os materiais foram desenvolvidos com cores vibrantes e frases que lembram a mulher o poder de suas palavras e decisões.

A campanha enfatiza, sobretudo, que a mulher não tem que se calar diante de um assédio. “O Carnaval é um período onde muitos homens acreditam ter liberdade para fazer o que quiser com a mulher, o que não é verdade. Agora elas estão amparadas pela lei, já que importunação sexual passou a ser crime”, disse Flávia Souza, gestora de Comunicação, Artes e Eventos da entidade e  CEO da Spiraal.

Este é o primeiro Carnaval que a Lei 13.718/18, que tipifica Importunação Sexual, estará em vigor. Por isso, os praticantes de atos libidinosos sem consentimento da vítima podem ser presos. Ou seja, toques inapropriados ou encoxadas geram pena de até cinco anos de prisão.

“Você não é obrigada” e “O seu corpo não é folia de ninguém” são algumas das frases divulgadas no material, que tem o objetivo de falar diretamente com a mulher. A campanha, que utiliza a palavra assédio em duas peças e em textos explicativos, promove uma fala de fácil compreensão dos internautas.

“Mas vale deixar claro que apesar de serem próximos nos linguajar cotidiano, os termos assédio sexual e importunação sexual são distintos juridicamente”, esclarece Flávia. Ela continua: “As definições foram impressas na campanha como ‘licença poética’, a fim de atingir os objetivos de expressão”.

A abordagem utilizada tem como meta promover a conscientização da população sobre a importância da mudança de comportamento – tanto dos homens quanto das mulheres. “Eles não podem mais continuar agindo como antes, ou serão punidos. E elas não podem mais aceitar serem vítimas desses assédios. É necessária que haja mudança de comportamento, especialmente neste período em que há aumento do número de denúncias”.

Dados da Central de Atendimento da Mulher, por meio do telefone 180, apontam que as denúncias de violência sexual costumam aumentar em até 20% durante o Carnaval. A gestora acredita que através de campanhas informativas, a entidade pode contribuir na redução de ações que geram essas denúncias.

Quer falar com a Ong Hella? Envie e-mail: contato@onghella.org.br