notaderepudio copy

A HELLA, enquanto Associação que atua direta e frontalmente no combate à violência de gênero e se posiciona de maneira a provocar a desconstrução do machismo, através de estudos para as melhores práticas de enfrentamento da violência contra a mulher, expressa através desta nota, o repúdio diante da “música”, denominada “Surubinha de Leve”, onde “MC Diguinho” faz apologia ao estupro.

Rechaçamos veementemente o argumento de que todo artista é livre para compor e gozar de liberdade de expressão, posicionando-nos inclusive de maneira extensiva aos meios de comunicação, como rádio, TV e internet, que veiculam conteúdo criminoso, que incita homens a oferecerem bebidas para mulheres, para assim facilitar o estupro.

Estupro de vulnerável, frise-se, pois sob efeito de substâncias entorpecentes, a mulher não detém o discernimento para consentir com o sexo.

Ressalte-se: estupro não é sexo forçado, é violência.

Desta forma, como mulheres, legitimadas em nosso local de fala, estamos ofendidas e, mais uma vez, expostas a vulnerabilidades e exigimos das autoridades a apuração da conduta do autor e co-autores, inclusive em face dos meios de comunicação, que permitem a propagação deste tipo de conteúdo prestando um desserviço à sociedade, fomentando o machismo e marginalizando ainda mais a mulher, semeando a cultura do estupro.

Erradicar a violência é compromisso de todos, das autoridades, das melhores práticas em políticas públicas e governamentais, da iniciativa privadas, das instituições em geral, inclusive do terceiro setor, onde nos enquadramos.

Em tempo, chegou ao nosso conhecimento que o referido autor alterou os termos misóginos da “música”, removendo supostamente os xingamentos, os substituindo e bradando que os homens devem continuar estuprando as mulheres, mas não devendo jogá-las na rua… o que só agravou a misoginia praticada de maneira indiscriminada.